quinta-feira, 12 de abril de 2012

Especialização educação musical UFRN


Fotos do trabalho com a música no Contemporâneo.



Plano de aula ,educação infantil.


Plano de Aula


1-     Recepção dos Alunos:
Receber os alunos e organizá-los em roda, oferecer maracas ou chocalhos para que eles acompanhem a música.
No caso do berçário os bebês que não sentam deverão ficar no bebê conforto.
Obs.: todos os professores e auxiliares também deverão estar com as maracás ou chocalhos para que os alunos possam tê-los como referência. Lembre-se de não “ajudar” o aluno a entrar no ritmo, respeite o tempo da criança.

2-     Música de acolhida:
Objetivos: Promover a socialização, a auto-estima e o desenvolvimento da coordenação rítmica.
A primeira música deverá citar o nome de cada criança, como estamos conhecendo os alunos nessa aula, pergunte o nome de cada criança e cante a música olhando carinhosamente para ela (sugestões de músicas na 3ª parte do livro ou no CD que acompanha o livro). Quando possível, o professor deverá acompanhar a música de acolhida com um violão ou teclado, caso contrário o professor poderá acompanhar com as maracás como os alunos.
Ver sugestão de música no CD ou DVD “Aulas de Musicalização”

  
3-     Canto / Expressão Corporal: Escolha uma música popular ou folclórica que estimule gestos para acompanhar a letra da música.
Nesta primeira aula sugerimos a música Marcha Soldado. Os professores deverão marchar marcando o tempo forte com os pés e tocando as maracas estimulando as crianças a fazerem o mesmo. As crianças do berçário que ainda não ficam de pé poderão ser carregadas no colo segurando as maracas, ou permanecer em seus lugares. Lembre-se que os bebês se desenvolvem muito bem apenas observando os professores.

4-     Atividade musical: SOM E SILÊNCIO
                Objetivos:
    -Contribuir para o desenvolvimento da consciência corporal da criança;
          -Descriminar Som e Silêncio

Material: para essa atividade utilizaremos um aparelho de som, chocalhos ou maracas.

1.      As crianças e os professores deverão se organizar em roda.
2.      Coloque uma música alegre para tocar, enquanto a música está tocando as crianças e os professores deverão acompanhar a música com os chocalhos. No caso do berçário os professores deverão incentivar os bebês a movimentarem os chocalhos. Após alguns instantes pausamos o som e nesse momento escondemos os chocalhos atrás do corpo. Nas primeiras pausas nem todas as crianças obedecem ao comando, mas você perceberá que aos poucos todas as crianças entenderão a proposta e farão alegremente o exercício.
3.      Conforme a idade das crianças você poderá aumentar o nível de dificuldade. Na segunda rodada peça que as crianças permaneçam de pé tocando os chocalhos, e durante o tempo de pausa elas escondem os chocalhos e se abaixam. Se você tem espaço, coloque um tapete no meio da sala e peça para as crianças dançarem tocando os chocalhos enquanto o som toca, no momento de silêncio peça para as crianças saírem do tapete e encostem em uma parede por exemplo.
     Essa brincadeira musical pode ser variada de acordo com a criatividade do professor, experimente brincar de vivo ou morto, estátua, etc.
     As crianças de todas as idades se divertem muito com essa atividade e embora possa parecer que as crianças estão apenas brincando, essa atividade ensina a criança a discriminar o som e o silêncio.

5-     Flauta Doce: Caso você opte por inserir o ensino de flauta (a partir de 4 anos), é nessa parte da aula que você deverá aplicar as lições.
Para o ensino de Flauta Doce sugerimos o Método “Minhas Aventuras com a Flauta Mágica”.

Antes de iniciarmos o relaxamento, todo o material utilizado durante a aula deve ser guardado, isso criará o hábito de organização nas crianças. Para tornar a tarefa mais agradável, cante uma canção que incentive as crianças a guardarem seus materiais.

6-     Relaxamento: Durante o relaxamento as músicas devem ser eruditas e possuir um andamento lento.

Tema: “O nascimento de uma plantinha”
Organize as crianças deitadas no chão (sobre um tapete confortável), oriente para que elas fiquem na posição do útero da mãe (como uma sementinha de feijão), ao iniciar a música comece narrar a historia de uma plantinha nascendo a partir da semente. Diga que você é a chuva e ande pela sala tocando nas crianças, a cada toque uma parte da plantinha (os bracinhos, as perninhas, etc.) vai nascendo. As crianças irão lentamente abrindo os bracinhos, perninhas, cada parte do corpo, aos poucos vão se levantando até se tornarem uma planta adulta (nesse momento elas já estarão de pé.
No berçário os bebês deverão permanecer deitados, e os professores vão estimulando seus movimentos.
Veja essa aula de relaxamento no DVD “Aulas de Musicalização”
Outras opções para o relaxamento você poderá encontrar na 3ª parte do livro.

7-     Música de despedida: A música de despedida deve ser curta e repetida durante todo o ano. Ela deve sinalizar o término da aula e criar expectativa para a chegada da próxima aula.

terça-feira, 20 de março de 2012

DURAÇÃO DAS FIGURAS MUSICAIS E SUAS PAUSA





Nem todas as notas tem a mesma duração. Para representar as várias durações dos sons musicais, as notas são escritas de maneiras diferentes. Essas diversas formas das notas são chamadas de figuras ou valores e são chamadas também de figuras de som.
As pausas são figuras que indicam duração de silêncio entre os sons. A figura da pausa na construção musical é importante e significativa como a figura do som.
Cada figura tem sua respectiva pausa que lhe corresponde ao tempo de duração. As figuras e suas pausas usadas atualmente são:



Começando da semibreve, que tem maior duração, cada uma dessas notas vale duas (dobro) da seguinte, vejamos:




Vejamos melhor essa divisão partindo da semibreve, chegando até a semifusa:




A semibreve como mencionamos, é a figura de maior duração, representa a unidade na divisão dos valores; assim, a semibreve é a figura que compreende todas as outras, ou seja, é a partir dela que surge as demais.


Quando se escreve duas ou mais colcheias, semicolcheias, fusas e semifusas consecutivas, usa-se também substituir os colchetes
por barras horizontais, ficando as notas unidas em grupos e melhor para a leitura das notas na pauta.


Vejamos um exemplo em colcheias e semicolcheias substituindo os colchetes pelas barras:





CURIOSIDADES

  • Existe ainda uma figura empregada com menos frequência que é a quartifusa também chamada de tremifusa.

QUARTIFUSA

PAUSA DA QUARTIFUSA


  • Havia antigamente três figuras que pouco a pouco foram deixando de ser usadas, até desaparecerem completamente da grafia musical: A máxima, a longa e a breve. Essas figuras só aparecem em partiruras antigas, pois hoje não se usam mais.



Bom, finalizamos por aqui.
Até a próxima!

domingo, 4 de março de 2012

Música: entenda porque a disciplina se tornou obrigatória na escola



Conheça a lei que determina a obrigatoriedade do ensino de música em todas as escolas do país a partir de 2012

Foto: Ilustração de Claudia Marianno
Foto: Segundo Sonia Regina Albano de Lima, diretora regional da Associação Brasileira de Ensino Musical, a música contribui para a formação integral do indivíduo
Especialistas afirmam que o ensino de música nas escolas deve trabalhar a coordenação motora, o senso rítmico e melódico
O ano de 2012 é data limite para que todas as escolas públicas e privadas do Brasil incluam o ensino de música em suas grades curriculares. A exigência surgiu com a lei nº 11.769, sancionada em 18 de agosto de 2008, que determina que a música deve ser conteúdo obrigatório em toda a Educação Básica. "O objetivo não é formar músicos, mas desenvolver a criatividade, a sensibilidade e a integração dos alunos", diz a professora Clélia Craveiro, conselheira da Câmara de Educação Básica do CNE (Conselho Nacional de Educação).

Nas escolas, a música não deve ser necessariamente uma disciplina exclusiva. Ela pode integrar o ensino de arte, por exemplo, como explica Clélia Craveiro: "Antigamente, música era uma disciplina. Hoje não. Ela é apenas uma das linguagens da disciplina chamada artes, que pode englobar ainda artes plásticas e cênicas. A ideia é trabalhar com uma equipe multidisciplinar e, nela, ter entre os profissionais o professor de música. Cada escola tem autonomia para decidir como incluir esse conteúdo de acordo com seu projeto político-pedagógico". Apesar de ser uma boa iniciativa, o trabalho com equipes multidisciplinares para o ensino de música não tem acontecido de forma satisfatória nas instituições de ensino. "De qualquer maneira, trabalhar de forma interdisciplinar ou multidisciplinar em escolas de educação básica é uma tarefa complicada", afirma Clélia.

É necessário prestar atenção se o seu filho está tendo aulas de música com uma equipe adequada ou mesmo se esse tipo de aula está sendo oferecida na escola dele, como diz a lei. De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases de 1996, só estão autorizados a lecionar na educação básica os professores com formação em nível superior, ou seja, profissionais que tenham cursado a licenciatura em Universidades e Institutos Superiores de Educação na área em que irão atuar. No entanto, há uma enorme carência de profissionais com formação superior em Música capacitados para lecionar. 

sábado, 3 de março de 2012


A iniciação musical na Educação Infantil e nas séries iniciais do Fundamental estimula áreas do cérebro da criança que vão beneficiar o desenvolvimento de outras linguagens. Além, é claro, de ser um grande barato!

Rafael Oliveira Freire

Amo a música os ritmos variados a criação de sons,as batidas dos tambores á educação musical,trabalhar com crianças deixando elas sentirem os sons.E claro a batera...

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Crianças adoram exercícios que utilizam instrumentos musicais:


Os instrumentos musicais são confeccionados para produzir sons. Esses são classificados de acordo com a maneira que o produzem, podendo ser de sopro, corda ou percussão. No caso da musicalização infantil, esses instrumentos podem ser feitos pelo próprio professor , o que possibilita a realização de atividades com custo muito baixo.Com o uso de materiais recicláveis, o professor pode fabricar chocalhos, tambores e outros.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Flauta doce


Olá pessoal estou postando duas imagens demostrando a flauta doce é as suas notas, pois essa flautinha ,trabalhada na educação infantil principalmente com crianças a partir de 4 anos é bem interessante.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Atividades escolares com música colaboram com a alfabetização




Letras que citam as partes do corpo promovem o autoconhecimento da criança

curso musicalizacao infantil atividade corporal 250x199 Atividades escolares com música colaboram com a alfabetização
Como primeiras atividades, recomendam-se as que usam as palmas das mãos e os pés

Para quem vai iniciar um projeto de musicalização em qualquer escola, é importante destacar que o primeiro contato com a música pode ser promovido por meio de atividades rítmicas utilizando o corpo, particularmente, palmas e pés, e ainda por meio de sons e gestos que chegam à criança. Esse tipo de atividade é muito mais simples, o que torna o início do projeto mais fácil. Além disso, as crianças, normalmente, assimilam mais rapidamente e adoram participar.
Como primeiras atividades, recomendam-se as que usam as palmas das mãos e os pés, porque são fáceis de assimilar e executar. Esse é o primeiro exercício sobre os compassos e os tempos em que as crianças, intuitivamente, vão perceber essa divisão.
Um detalhe importante, segundo o professor Thyaga, coordenador técnico do cursoMusicalização Infantil, desenvolvido pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, é o uso de instrumento musical. “Se você toca violão ou se tem alguém que pode acompanhar a atividade, você vai conseguir desenvolver a brincadeira de uma forma muito mais interessante”, afirma.
Depois das palmas e pés, que são atividades bastante lúdicas, podemos avançar mais um pouquinho, agora com uma atividade que as crianças adoram. As músicas treinam a coordenação motora e ao mesmo tempo promovem o autoconhecimento da criança em relação ao próprio corpo. Para esse tipo de trabalho as músicas devem citar partes do corpo, como olhos, orelhas, nariz e boca, e ao mesmo tempo as crianças precisam identificar nelas o que estão cantando.http://www.tecnologiaetreinamento.com.br

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Bandinha rítmica:

"A bandinha rítmica é uma das mais ricas formas de expressão musical. Além dos valores estéticos a ela atribuídos, concorre também para o desenvolvimento do autodomínio e da auto-realização, por permitir que a própria criança construa seus instrumentos. São várias as suas finalidades na pré-escola:
  • despertar e desenvolver o senso rítmico;
  • desenvolver a acuidade auditiva;
  • satisfazer a necessidade de atividade muscular aplicada a um fim construtivo;
  • desenvolver o controle motor;
  • desenvolver a autodisciplina e a atenção;
  • estimular a confiança em si mesmo e o autodomínio;
  • estimular a expressão espontânea e as fantasias inconscientes;
  • desenvolver hábitos sociais (respeitar a vez do colega, confraternização e sociabilização).

Essa atividade tem de ser introduzida aos poucos. A criança deve explorar e conhecer todas as possibilidades de cada instrumento separadamente, para depois ir juntando, numa mesma música, dois ou mais instrumentos, até ser capaz de combiná-los todos."

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Bandinha do CRAS: Projeto pioneiro é destaque em Caraúbas/RN


"Bandinha do CRAS" do bairro Leandro Bezerra é destaque no município. 

O Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) do bairro Leandro Bezerra, vem sendo destaque graças a um projeto pioneiro no município de Caraúbas/RN.

Desde o ano passado, um grupo de jovens vem sendo beneficiado com aulas de música. A iniciativa ganhou espaço e respaldo e logo foi formada a "Bandinha do CRAS". Utilizando materiais recicláveis, eles dão show em apresentações aqui na cidade. 

Apresentação numa Retreta Cultural, no Centro da cidade de Caraúbas/RN. 

O trabalho é desenvolvido pelos acadêmicos do Curso de Pedagogia do Núcleo da UERN, Rafael Oliveira,  e Gilza Freire, e contando com o apoio da Coordenação do CRAS.

Esse foi um projeto que fiz com apoio da colega Gilza Freire na cidade de Caraúbas-RN,que foi sucesso repercutindo na mídia local daquela cidade.